O que são vírus, worms e trojans?
 

 
É muito comum ler-se matérias em que palavras como vírus e worm são usadas indistintamente para se referir à mesma coisa. Apesar de esta mistura de termos ser admissível para o entendimento comum, há diferenças conceituais entre eles. E é sobre estas diferenças que a empresa Panda Software tratou em seu boletim de ontem.

Todos os tipos de códigos maléficos podem ser englobados na categoria de malware (malicious software), que se define como programa, documento ou mensagem passível de causar prejuízos aos sistemas. O grupo de malware mais abundante é o dos vírus, que segundo a Panda pode ser dividido em três subgrupos: vírus propriamente ditos, worms e trojans ou cavalos de Tróia. Veja, abaixo, as definições dadas pela empresa, acrescidas de algumas outras informações conhecidas:

Vírus - são programas de informática capazes de multiplicar-se mediante a infecção de outros programas maiores. Tentam permanecer ocultos no sistema até o momento da ação e podem introduzir-se nas máquinas de diversas formas, produzindo desde efeitos simplesmente importunos até altamente destrutivos e irreparáveis.

Worms - similares aos vírus, com a diferença de que conseguem realizar cópias de si mesmos ou de algumas de suas partes (e alguns apenas fazem isso). Os worms não necessitam infectar outros arquivos para se multiplicar e normalmente se espalham usando recursos da rede (o e-mail é o seu principal canal de distribuição atualmente).

Trojans ou cavalos de Tróia - são programas que podem chegar por qualquer meio ao computador, no qual, após introduzidos, realizam determinadas ações com o objetivo de controlar o sistema. Trojans puros

não têm capacidade de se auto-reproduzir ou infectar outros programas. O nome cavalo de Tróia deriva do famoso episódio de soldados gregos escondidos em um cavalo de madeira dado como presente aos troianos durante a guerra entre os dois povos.

Segundo a empresa antivírus, a classificação acima tende a ser revista em um futuro não muito distante, devido à aparição de novos tipos de malware que reúnem características de mais de um grupo ao mesmo tempo. Um exemplo são os chamados worm/trojans, que como indica o nome incorporam características destes dois tipos de códigos maléficos. Os malware também estão se tornando cada vez mais sofisticados, particularmente na forma de propagação. De fato, já existem exemplares que se propagam diretamente através da Internet, segundo a Panda.

 

Voltar





Adicione o LIGG3 aos Favoritos | Faça do LIGG3 a sua Página Inicial
© 2003-2008 Portal LIGG3 | Robson Rodrigo de Oliveira
Deus é Fiel!